A campanha do laço branco

Com objetivo de sensibilizar, envolver e mobilizar os homens em ações pelo fim de todas as formas de violência contra a mulher surge a campanha do laço branco, onde é celebrado o Dia Nacional da Mobilização dos Homens pelo fim da violência contra a mulher, no dia 6 de Dezembro.

Essa data da campanha remete a um evento que aconteceu na cidade de Montreal, no Canadá, neste dia no ano de 1989, um homem de 25 anos invadiu uma sala de aula em uma Escola Politécnica ordenando que os aproximadamente 48 homens da sala se retirassem e permanecessem apenas as mulheres, gritando pra elas: “vocês são todas feministas?”, e logo em seguida começou a atirar enfurecidamente e assassinou 14 mulheres à queima roupa. 

Em seguida, o rapaz se suicidou, deixando apenas uma carta na qual afirmava que não aceitava a ideia de ver mulheres estudando engenharia, onde acreditava ser um curso tradicionalmente dirigido aos homens.

O crime provocou muitos debates sobre igualdade de gênero e mobilizou a opinião pública do país. Vários homens canadenses se organizaram na época do crime e falaram que existiam aqueles que cometem violência contra a mulher, mas que existem os que não toleravam qualquer tipo de agressão contra a mulher, criando originalmente a campanha White Ribbon, tal movimento que cresceu e hoje tem a missão de mostrar para o mundo a nova visão do homem sobre a igualdade de gênero. O laço branco virou um símbolo para a não violência contra a mulher e principalmente um símbolo para a sociedade parar de fechar os olhos diante disso.

No Brasil, onde ainda temos um índice muito alto de violência contra as mulheres no país, que vão desde agressão verbal, psicológica até o feminicídio, o lançamento oficial da campanha foi realizada em 2001. Ela é coordenada pela Rede de Homens pela Equidade de Gênero (RHEG).

constituída por um conjunto de organizações não governamentais e núcleos acadêmicos. Ela promove eventos e atividades com o objetivo de sensibilizar, envolver e mobilizar os homens no engajamento pelo fim da violência contra a mulher. A campanha atua no espaço público, em geral onde homens frequentam, em escolas, instituições de saúde, empresas públicas, privadas, órgãos de segurança.

São desenvolvidas estratégias de comunicação e ações políticas voltadas a homens de diferentes idades e em diferentes contextos,em palestras, ações comunitárias e distribuição de material alusivo à campanha em atos públicos. As melhores formas de dar visibilidade a essa Campanha é através de oficinas, divulgação de material educativo, veiculação de material em mídia e na participação em eventos culturais.

Nas duas últimas décadas, o movimento tem crescido e  já foi implementada em diferentes países do mundo: na Ásia (Índia, Japão e Vietnã), Europa (Noruega, Suécia, Finlândia, Dinamarca, Espanha, Bélgica, Alemanha, Inglaterra e Portugal), África (Namíbia, Quênia, África do Sul e Marrocos), Oriente Médio (Israel), Austrália e Estados Unidos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *